domingo, 5 de setembro de 2010

carne da carne

Eu sou carne que da carne se alimenta
e que a morte tem como sina
Na pele própria, na pele fina,
Que como mata, assassina.

Um comentário:

  1. Que voraz. Nunca sei o que comentar depois de algo que me silencia.

    ResponderExcluir