segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Gestos Limpos


Ela tem gestos limpos, sabe? Nada de cigarros, nada de álcool, poesia só. Muita. Sem moderação, quase como um vício. Muitos versos ingeridos, e vomitados. Nisso ela vence, por isso ela se rende. A vida vagabunda é pelos versos, somente. Mas seus gestos, ah, são todos limpos. Sorriso branco, sem olhos vermelhos, sem olheiras. Dorme cedo, não desperdiça segredos, não venera a noite, não se entrega pelo desejo. Mas por tal criatura, o desejo se entrega.

3 comentários:

  1. Os gestos limpos dela parecem iluminar meus próprios gestos, esses que ainda nem pratiquei. E que bela deve ser a vida vagabunda pelos versos! Gostei demais!

    ResponderExcluir